sábado, 12 de julho de 2008

É urgente construir razões de Esperança!

Já está disponível aqui o Relatório Nacional sobre Portugal - elaborado a partir de dados do Eurobarómetro 69, estudo da opinião pública realizado pela Comissão Europeia entre os dias 25 de Março e 4 de Maio de 2008 - que analisa o actual clima da opinião pública nacional.

Eis algumas das principais conclusões:

1) «Os portugueses continuam a ser dos cidadãos europeus mais pessimistas quanto à evolução futura da economia do seu país. Quase dois terços dos portugueses pensam que, no próximo ano, a situação tenderá a piorar no que respeita ao emprego (…) e três em cada cinco que o mesmo sucederá em relação à situação económica em geral».

2) «41% dos portugueses estão convencidos que a sua situação financeira pessoal irá piorar no próximo ano (…) e fenómeno particularmente preocupante é a admissão, por mais de dois terços dos portugueses, de que têm dificuldades para pagar as contas no final do mês». Esta «é uma percepção que se alarga não apenas aos sectores habitualmente mais “vulneráveis” da população, mas também à “classe média” dos trabalhadores urbanos do sector dos serviços.»

3) «Apenas 26 por cento dos portugueses pensam que o país segue numa direcção certa: dos 27 países da UE, apenas seis apresentam percentagens inferiores a esta.»

Perante estes dados, ainda alguém tem dúvidas de que é urgente construir razões de Esperança?

3 comentários:

Anónimo disse...

Já conhecem a IM Magazine, "a revista que divulga o melhor que se faz no mundo para um mundo melhor"?

Enquadra-se perfeitamente na ideia de que "Melhor é possível" e na construção de razões de esperança!

Aqui vai o link: http://immagazine.sapo.pt/

Alberto Rebola disse...

Caro anónimo,

é sem dúvida uma revista de grande qualidade. Obrigado pela dica. Todas as sugestões são sempre bem vindas.

Rui NS disse...

Anónimo,
A IM Magazine já foi destacada aqui no blogue, por alturas do seu surgimento, e tem um lugar de destaque nos sites a visitar que se encontram na coluna da direita.

É como diz, enquadra-se perfeitamente.

Obrigado!