sábado, 16 de agosto de 2008

As medalhas e os jogos olímpicos

por Margarida Neto:
A Comunicação Social repete, dia após dia, que os “Portugueses
falham as medalhas”. Francis Obikwelu, desiludido, pede desculpa e afirma desistir da sua carreira. Já não participará nas eliminatórias dos 200 metros.

Será este o destino dos Portugueses?
Partimos anunciando vitórias… vivemos dias de ilusão de que será possível… e depois caímos na desilusão… arranjamos culpados…ele é a falta de condições… os árbitros…as horas da competição…as lesões….

Tudo serve de desculpa… neste fado de país triste e pequeno…

Não pode ser este o caminho! Não podemos aceitar que seja quase sempre assim….

À hora a que escrevo, não sei se haverá ou não medalhas.

Não é isso que me importa.

Importa-me a forma como nos organizamos, como sonhamos, como nos preparamos, como avaliamos o que fazemos.

Em primeiro lugar, o sentido da humildade.

Podemos e devemos aspirar o máximo, mas com o sentido da realidade. Competimos com os melhores e eles querem o mesmo que nós. É arrogante pensar que seria fácil e que as medalhas, à partida, já estariam ganhas.

Importa avaliar o esforço de cada atleta.
Reconhecer as marcas pessoais que foram superadas.
Valorizar o mérito do esforço feito, e motivar para o que cada um pode ainda fazer melhor.

Correu mal? Recomeça-se.
Não foi suficiente? Há que continuar a trabalhar…

Desistir e culpabilizar os outros é um dos defeitos que os Portugueses têm de corrigir.

Acreditar que somos capazes, sem utopia.
Quanto mais alto se sobe, maior é a queda, diz o povo e com razão..

E fazer por isso. Cada um. Todos. Todos em conjunto.
Claro que somos capazes!
Na memória de todos, a atitude e nobreza, da selecção nacional de râguebi. Entrega, espírito de equipa, crença, ousadia, preparação, liderança.

É nos momentos difíceis, que se conhece a fibra de alguém.

Com os países, com os povos, é igual. Connosco, parece que a crise se cola à alma, passa a ser destino, em todos os momentos, em todas as áreas.

Não tem de ser assim.
Na vida como na política, na economia como no desporto.

Melhor é possível! É nisto que temos de acreditar.

E as medalhas?

Claro…. Se houver medalhas… vibrarei com a nossa bandeira a subir ao podium…E se ouvir o Hino de Portugal, as lágrimas serão certas…. Que sou bem portuguesa….e a emoção forte…

3 comentários:

Anónimo disse...

Se ganham são os melhores, se perdem são os piores! Alguém tem que ganhar, alguém tem que perder! São essas as regras. Em qualquer jogo, não existe meio termo.

anad disse...

Mas nem uma medalhinha de bronze????.
Saudações
Anad

FAT disse...

Completamente de acordo. Valorize-se o esforço, o empenho, a dedicação e trabalhemos todos para que melhor seja possível.