segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

“Tá” quase

A menos de 4 meses das primeiras eleições em que o MEP vai participar, este projecto parece que só pode… melhorar.
O mundo “ajeitou-se” em prol do MEP.
Neste momento, a palavra esperança é provavelmente uma das mais usadas. O lema do MEP já foi “assemelhado” pelo PSD e pelo PCP… Melhor é possível. O Presidente da República veio dizer esta semana que as grandes prioridades nacionais, em traços gerais, são o desemprego e a pobreza. O MEP é o partido que mais se preocupa com as causas sociais.
O MEP faz sentido AGORA. Se os portugueses não quiserem perceber isto, quem fica a perder é o país, e não quem trabalha para a construção deste sonho de tornar este mundo… Melhor.
Depende de ti.

Bruno de Jesus

3 comentários:

Anónimo disse...

As grandes prioridades nacionais deveriam ser: o emprego e não o desemprego; a riqueza e não a pobreza!

Jorge Machado dos Santos disse...

Batalhas serão ganhas, batalhas serão perdidas, mas a validade e importância do MEP, são inquestionáveis.
Neste momento a preserverança é o mais importante para o crescimento do MEP.

Jorge Sousa disse...

Eu prefiro definir as prioridades por:
Criar emprego em vez de controlar o desemprego.
Criar riqueza para todos em vez de aumentar as despesas.
Criar oportunidades de inclusão em vez de aceitar a exclusão.
Quero um país com lugar para todos.