quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Que o seu IRS ajude os outros.

Neste momento em que as famílias portuguesas iniciam o preenchimento dos impressos do IRS referentes ao ano de 2008, deixo aqui algumas instituições que podem ser apoiadas com uma parte do IRS de cada um.

Este contributo não depende de mais um esforço de cada contribuinte mas sim do estado em transferir uma percentagem do que recebe do IRS para as diferentes instituições.

As instituições que recebem são as que cada contribuinte identifica. Nas declarações em que não seja referida nenhuma instituição esse valor fica disponível para o estado o utilizar onde bem entender.

Actualmente o valor do contributo definido pelo governo é de 0,5% do IRS de cada contribuinte, valor que o MEP propõe que passe para 1% para que esta seja uma forma concreta da sociedade apoiar o bom trabalho realizado pelas diferentes instituições.

Para contribuir só precisa de preencher no Anexo H, quadro 9, campo 901 (Instituições Particulares de Solidariedade Social ou Pessoas Colectivas de Utilidade Pública) com o Nº de contribuinte correspondente.

Algumas das instituições que cada um pode escolher para receber o seu apoio:
Liga Portuguesa Contra o Cancro – NIF = 500 967 768
AMI – NIF = 502 744 910
Banco Alimentar contra a Fome – NIF = 504 335 642
Microcrédito (ANDC) – NIF = 504 496 140

Fica como desafio que quem conheça mais instituições as divulgue através do seu comentário.

Com o contributo de todos podemos ter uma sociedade Melhor.

3 comentários:

PG disse...

Porque a solidariedade se pratica e não se publicita penso que este post honra o MEP.

cunha disse...

Estou totalmente de acordo com o aumento para 1%, e venho propor que acrescentem a importantíssima obra das Irmãzinhas dos Pobres, que recolhe os idosos e doentes, cujo NIF é 502 023 570.
Rui Cunha

Julieta Pereira de Lima disse...

Bom dia,
Ontem, 2 Março, li uma noticia na revista da DECO que me deixou furiosa: que ha instituições a quem doámos os 0,5% do IRS d 2007, que ainda nao receberam nada!
Isto é simplesmente vergonhoso.
Será que podem indagar?
obg
Julieta Pereira de Lima