segunda-feira, 16 de março de 2009

Melhor informação, por favor!

Já não é a primeira vez que se escrevem coisas semelhantes mas esta notícia é a mais escandalosa que vi até agora sobre o tema.

Para que conste:

A 27 de Novembro de 2008 o MEP tornou-se o 1º partido português a apresentar uma sessão em directo pela internet com resposta em tempo real a perguntas recebidas através do seu site: http://www.mep.pt/MEPDirecto.html.
Foi o 1º partido a inaugurar um canal próprio de TV na internet (http://www.mogulus.com/melhorepossivel) utilizando-o para anunciar a candidatura de Laurinda Alves ao Parlamento Europeu. Veja-se o telejornal da RTP nesse dia: http://www.youtube.com/watch?v=7t8kankk3-w.
Das acções inovadoras promovidas pelo partido contam-se ainda, entre outras, a transmissão em directo do debate "Portugal, que razões de Esperança?", no Porto, com Clara Sottomaior, Bento Amaral e Rui Moreira e a 1ª grande entrevista emitida em directo num canal do próprio partido, conduzida por Ana Sousa Dias a Rui Marques (http://www.selfcast.com/mep).
Em termos de presença na WEB2.0, o MEP está, desde o primeiro dia (3 de Março de 2008) presente no Twitter,Facebook,Hi5,Youtube,Tchnoratti,TST,Slideshare,Picasa,MySpace, entre outros, liderando este segmento, como já foi reconhecido por vários meios (http://pauloquerido.pt/politica/psd-renova-site-web-social-chega-finalmente-aos-partidos/, http://prdantenaum.blogs.sapo.pt/81824.html).

Consta que o MEP é um dos 16 partidos portugueses e em todos estes momentos não faltou divulgação ou notícias na comunicação social a confirmá-los.
Para verificar a presença inovadora do MEP na internet e a adesão que tem tido nas redes sociais basta visitar o nosso site e, a partir dele, explorar as infinitas ramificações.

Que mais se pode dizer do artigo publicado?

2 comentários:

Jorge Sousa disse...

É só mais uma das afirmações à BE, em que se apresenta como único, quando no final está a copiar outras iniciativas.
Infelizmente, alguns jornalistas nem se dão ao esforço de confirmar os factos antes de os publicar.
Significa que o MEP tem de continuar o seu trabalho de divulgação e de participação.

Henrique Joaquim disse...

Jornalista sérios procuram-se
é por estas e por outras que a credibilidade anda por baixo. É melhor ver onde está a informação e perceber que o mundo é muito mais que o status quo. Ora venha de lá esse pedido de desculpas, é o mínimo.