segunda-feira, 8 de junho de 2009

A abstenção e a falta de informação...

Esta noite não pude viver a satisfação de ver a Laurinda Alves eleita para o Parlamento Europeu. Fica esse travo amargo num resultado francamente positivo para o MEP que os portugueses elegeram como o primeiro dos «pequeninos». A todos os mais de 50 mil eleitores que confiaram no MEP o meu profundo agradecimento pessoal e o meu agradecimento em nome de Portugal pois acredito que o futuro do nosso país será tanto melhor quanto mais força de expressão tiver este nosso Movimento.
Lamento muito os elevados valores de abstenção. Compreendo a tentação de a usar como forma de protesto e respeito quem o tenha feito mas não posso concordar. O verdadeiro protesto - para quem não se reveja em nenhum dos projectos políticos que lhe tenham dado oportunidade de conhecer - é o de ir às urnas e votar em branco ou mesmo nulo! Dessa forma não poderão diluir o seu protesto genuíno nas desculpas de sempre para a abstenção (desinteresse, preguiça, férias, chuva, sol, etc.). Seria interessante as televisões darem-nos a saber qual a verdadeira dimensão desses votos de protesto daquelas portuguesas e daqueles portugueses que se «deram ao trabalho» de ir exercer o seu direito/dever de votar mas que «castigaram» toda a classe política. Penso que representam uma percentagem significativa mesmo assim. Mas falta-me informação...
Aliás esse é outro facto que lamento mais uma vez neste acto eleitoral: a falta de informação! Não se pode verdadeiramente criar condições de genuína democracia se, mesmo em tempo de campanha eleitoral, os meios de comunicação social quase que desprezam os partidos de menor expressão que são aqueles que mais deles necessitam para transmitir e dar a a conhecer os seus projectos pois não têm meios financeiros para competir com as campanhas parcialmente subsidiadas por dinheiros públicos dos partidos que, pela televisão, nos entram casa adentro todos os dias. E cuidado com a possível justificação de menor interesse público. Basta ver o tempo de antena dado aos principais candidatos à câmara de Lisboa nas últimas eleições para o efeito. Será que o Dr. António Costa teve muito mais votos para Lisboa que o MEP teve no país?
E quantos daqueles cidadãos que, legitimamente, não votaram em nenhum partido, o teriam feito nos tais «pequeninos» se lhes fosse dada a oportunidade de os conhecer melhor?
De qualquer modo, congratulo-me com o civismo desta jornada eleitoral, pelos resultados obtidos pelo MEP e, sobretudo, pela excelente campanha cheia de Esperança que este novo Movimento fez pelas terras de Portugal. Viva o MEP!

6 comentários:

Jorge Marques disse...

Se o MEP conseguir manter o entusiamo (ou até aumentar!) destes 50 mil votantes, parece-me que é possível sonhar com, pelo menos, um deputado nas legislativas. De facto, o que mais ressalta destas eleições é a capacidade de contágio conseguida pelo MEP! Obrigado por nos darem esta magnífica alternativa política!

Isabel Valente disse...

"O sol ao nascer proporciona o maior espectáculo da natureza e no entanto, a maioria da plateia continua a dormir." (Autor desconhecido)
Hoje nasceu um sol na politica portuguesa, chama-se MEP!
Eu acordei para o ver nascer, eu e mais 53 000 portugueses (aprox).
Agora, este sol vai brilhar ainda mais, e muitos mais irão acordar.
E acreditem quando as nuvens surgirem para tapar o sol, ele permanecerá lá, por detrás da nuvem é certo, mas a nuvem apenas passa,o sol ficará.
Força MEP Continuem no caminho positivo, humano e honesto. Nada de promessas mas sim trabalho para o bem comum como afirmam no vosso codigo de ética!
Eu estou disponível para ajudar a ligar os despertadores dos portugueses! por uma vida mais positiva e com esperança!
porque melhor é possivel!!!!!!
Parabéns MEP e obrigado!!

Vitor Mota disse...

Eu também fui um dos 50000! Parabéns pela vitória e continuem o excelente trabalho que estão a fazer. Obrigado.
VM

JPontes disse...

Quero felicitar toda a equipa MEP por este excelente resultado, queria ainda deixar aqui o meu apoio para que continuem este grande projecto .

Vieram trazer uma nova forma de fazer politica uma politica de união de alegre e honestidade .

Parabéns!!!

Joaquim Ferreira disse...

Queria desafiar-vos a ir ler um artigo publicado com o título "VOTO EM BRANCO NUMA DEMOCRACIA AVANÇADA" em http://ferreirablog.blogs.sapo.pt/22566.html

Joaquim Ferreira disse...

Sem dúvida... Estes movimentosw EMERGENTES, SEM os VÏCIOS dos partidos tradicionais começam a ser reconhecidos como UMA LUZ AO FUNDO DO TÚNEL em que se tornaram os tradicionais partidos... Cheios de vícios, de caciquismo, de poder instalado. Votaremos mais firmemente se confiarmos nos que nos representam. Os actuais têmn demosntrado a cobardia na horta da verdade. Vejam os professores SOCIALISTAS que votaram a favor aprovando um TREMENDAMENTE INJUSTO Estatuto da Carreira Docente que premeia os parasitas, os que nada fazem, bastando para isso ter estado presentes na escola... Permitiu que PARASITAS que NUNCA gostaram de ser Professores e FUGIRAM para os EXECUTIVOS e Directores de Centro de formaçao, que passaram anoas e anos sem dar aulas com PONTOS EXTRA para chegar a PROFESSOR TITULAR... ACABEMOS com a INJUSTIÇA. Venha um Partido que assegure o retorno a um SISTEMA MAIS JUSTO (como era o anterior, independentemente de se lhe introduzirem melhorias inweqívocas e nao que beneficiem o caciquismo, a subserviência e que promovam o entisiasmo que tinham os professores de outrora e o comodismo, a desmotivaçao, o o desencvanto, a frustraçao, a revolta, a indignaçao que nasceu com o actual modelo aprovado por um governo de inquisidores e INCOMPETENTES SOCIALISTAS. A Educação merece Melhor... MELHOR É POSSÍVEL. Visitem "VOTO EM BRANCO NUMA DEMOCRACIA AVANÇADA" e comentem.