sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Laurinda Alves apresenta candidatura em Coimbra


Neste preciso momento assisto a mais uma sessão de apresentação da candidatura da Laurinda Alves ao Parlamento Europeu. Sentado no auditório do IPJ de Leiria, após um dia fabuloso de visitas e entrevistas entre Coimbra e Leiria, assisto pela terceira vez a uma comunicadora nata a trazer para a política um discurso e uma atitude radicalmente diferentes.

3 comentários:

Marta Martins disse...

Gostei de ouví-los aqui em Coimbra nesta noite chuvosa que, de repente, pareceu menos cinzenta.
Foi bom ouvir de viva voz falar de um projecto que parte com a vontade e a determinação de fazer diferente, de tentar marcar pela positiva e que se propõe "colocar a mão na massa" nas palavras contagiantes de Laurinda Alves.
Como professora e militante entusiasta da cidadania activa agradeço o exemplo que prometo divulgar. Nada como educar pelo exemplo.
Melhor é mesmo possível. Hoje ficámos todos mais convecidos disso.
Força!
Marta Martins

Rui Silva disse...

Estive presente no passado dia 31 de Janeiro no auditório do IPJ de Leiria, e sinceramente gostei do que ouvi.
Vibrei com Sá Carneiro, Cavaco Silva criou-me algumas expectativas que se desmoronaram no final do 2ª mandato, fiquei desiludido com Durão Barroso e desconcertado com Santana Lopes. António Guterres foi mau e agora José Socrates prima a sua governação pela arrogancia, falta de verdade, politica mediatica, tolerancia pela incompetencia de alguns dos seus ministros. Estou desiludido com esta politica na forma, no teor e na pratica.
No passado sabado vi pessoas diferentes, uum modo de estar e um discurso diferente.
As batalhas que se aproximam são dificeis, mesmo muito dificeis, mas também á verdade que é o sonho que comanda a vida e que "tudo vale a pena se a alma não é pequena" e que a esperança é algo que nunca pode morrer.
Portanto, SONHO, ALMA e ESPERANÇA.

Rui Silva

Anónimo disse...

Gostei muito, sou de Lisboa e passo alguns fins de semana em Coimbra, ao saber que Laurinda Alves ia estar no IPJ não quis deixar de estar presente ao que considero ser uma candidatura positiva. É disto que o país precisa, gente de valor interessada no bem comum que deve se sinónimo de política.
Afinal ainda existe uma alternativa!