quarta-feira, 5 de Dezembro de 2007

A Audácia da Esperança, de Barack Obama




Em Julho de 2004, Barack Obama galvanizou a Convenção Nacional do Partido Democrata com um discurso dirigido aos americanos de todos os quadrantes políticos. Um comentário conquistou lugar na atenção do público: a observação de que, apesar de toda a discórdia e luta manifestas na história da América enquanto nação, o seu povo foi sempre guiado por um optimismo indestrutível quanto ao futuro, a que o senador Obama chama «a audácia da esperança».
Neste livro Obama apela a uma forma diferente de fazer política – uma política para aqueles que estão cansados da partidarização amarga que se pode ver nas campanhas eleitorais; uma política enraizada na fé, na inclusão e na nobreza de espírito que residem no âmago da «nossa improvável experiência democrática».
Senador e advogado, professor e pai, cristão, céptico e, acima de tudo, estudioso da história e da natureza humanas, Obama escreveu um livro com potencial transformador. Só regressando aos princípios de que emanou a Constituição, afirma, conseguirão os americanos reparar um processo político que não está a funcionar e devolver ao pleno funcionamento um governo que perdeu perigosamente o contacto com milhões de cidadãos comuns. Estes americanos andam por aí, escreve, «à espera que republicanos e democratas estejam à sua altura».

(sinopse de apresentação Á venda na Webboom.)

As imagens da intervenção na Convenção de 2004.

Sem comentários: